quarta-feira, 30 de maio de 2012

Ver-te a...







Ver-te a gostar de ti, deixa-me feliz.
Ver-te a tocares-te, deixa-me arrepiado.
Ver-te a passar as mãos pelo corpo, deixa-me em êxtase.
Ver-te a explorar os teus recantos, deixa-me quente. 
Ver-te a ofegar, dá-me vontade.
Ver-te a mexer, faz-me delirar.
Ver-te a ficares molhada, deixa-me duro.
Ver-te a estimulares-te, deixa-me carente.
Ver-te a seduzires-me, faz-me venerar-te.
Ver-te a acariciares-te, deixa-me desejoso.
Ver-te a ter prazer, dá-me prazer.
Ver-te a amares-te, faz-me amar-te.

Beijos,
Eros

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Espreitando e Desvendando





Por esta fresta te espreito
Por esta fresta te desvendo

Por esta fresta
cravo
sonda contra esponja,
e babo
e te penetro
teso e reto, e por inteiro
o seu corpo se entreabre:
porta e perna, caixa e coxa.

Por esta fenda
tenda
de pele que se franze,
e rasga
eu me adentro
feito de espera e de esperma:
e espremo - te aperto - e exprimo
toda a cor da carne do amor que escrevo.

Por esta fresta me espreito
Por esta fenda me desvendo

por Armando Freitas Filho

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Corpos



"A distância separa dois corpos, mas nunca dois corações que se amam".

Beijos
Eros&Afrodite

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Massagem

    Depois de estar bem oleada, à minha espera, a Afrodite pediu-me que lhe fizesse uma massagem ao corpo todo. Claro que não ia recusar um pedido destes; todas as oportunidades que tenho de sentir a sua beleza e sensualidade com as mãos devem ser aproveitadas. Ela deitou-se, eu despi-me e sentei-me em cima dela.
    Enquanto as minhas mãos deslizavam pelos seus ombros esbeltos, a sua cintura delgada, o seu rabo perfeito... a minha pila começou a crescer e a ficar cada vez mais tesa. A massagem prosseguiu e com ela ia aumentando o desejo. Por esta altura, as minhas mãos deslizavam já suavemente sobre os seus buracos e, além de ter óleo nos dedos, apercebi-me de que estava molhada. Não resisti.Tinha o pau a latejar e precisava urgentemente de matar a vontade. Agarrei-o e meti-o sem hesitar na sua ratinha. A Afrodite não se mexeu e nada disse, mas ouviu-se um leve suspiro. Continuei a massagem, mas sempre que as minhas mãos deslizavam do seu cu até aos seus ombros, o meu corpo acompanhava o movimento e a minha pila ia deslizando dentro da Afrodite. Ela estava cada vez mais quente e os suspiros transformaram-se em gemidos. Ela sabe que adoro esta posição pois, ao fazer força nos músculos, sinto o buraquinho a ficar mais apertado e a contrair a minha pila. Enquanto lhe beijava o pescoço, com a mão comecei-lhe a estimular o ânus e facilmente um dedo escorregou para dentro do seu cuzinho.
    O prazer era cada vez maior; a minha pila entrava cada vez mais fundo; os gemidos eram cada vez mais altos; a temperatura cada vez mais quente... Até atingirmos o auge da satisfação sexual.


Beijos e Abraços,
Eros

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Seduz-me

É quando me esperas assim...
...coberta de óleo, a seduzir-me, a ofereceres-te...


Que eu fico assim...
...cheio de vontade, a pingar de tesão por ti...






Beijos e Abraços,
Eros

sábado, 12 de maio de 2012

Insaciável


Como podem ver, a minha Afrodite tem realmente jeito quando se trata de me dar prazer com a boca. A forma como percorre a minha pila com a língua, desde os tomates até à cabeça, é mesmo divinal! Como se não bastasse lamber-me desta forma, ainda me chupa com toda a força, até ficar com a boca cheia de esporra, o que me deixa ainda mais em êxtase!



Mas o nosso passeio não se ficou por aqui. Ainda antes de deixar que a minha pila ficasse murcha, agarrou-a e depressa a meteu no seu buraquinho. Ainda que apertado, estava extremamente molhado, pelo que entrou facilmente. De frente para mim, ia-me beijando o pescoço e gemendo aos meus ouvidos, o que me incentivava cada vez mais a aumentar o ritmo e a força com que a penetrava. Estava tão molhada que sentia os fluidos que saíam dela a escorrer-me pelos tomates. Foi o suficiente para eu me vir dentro dela!



Notava-se que ela estava super excitada! Sem me deixar recuperar o fôlego, disse:



- É a minha vez, quero-me vir! Lambe-me! – Apesar de ainda não estar em mim, não me podia negar a um pedido destes. Ajoelhei-me entre as pernas dela e comecei a lambê-la. Os gemidos começaram a ficar cada vez mais fortes. Interrogo-me se quem estava dentro da casa conseguiu ouvir o prazer que ela estava a ter. Com uma mão por dentro da camisola, sentia-lhe os mamilos tesos, daquelas mamas perfeitas; com a outra, tinha dois dedos dentro dela, o que me fez perceber que se estava a vir, pois sentia os músculos a contraírem-se constantemente. Levantei-me e beijei-a.



Encostei-me à parede, a pensar que a noite estava a acabar, mas a Afrodite estava insaciável. Aproveitou que eu estava de pau teso, outra vez, e virou-se de costas para mim, com as costas dobradas. Agarrou-me na pila, que voltou imediatamente a deslizar para dentro dela. Com as mãos na sua cintura, puxava-a para mim com força, para a conseguir penetrar ainda mais fundo. Ao ouvir a Afrodite a gemer quase aos gritos, comecei a estimular-lhe o clítoris… Quem é que consegue resistir quando se está a olhar para o cu da namorada e a ouvi-la gemer incansavelmente? Não demorámos a vir-nos os dois, quase ao mesmo tempo, deixando-lhe o sexo a gotejar.


Finalmente, acabámos por aqui… Ou será que não?





Beijos e Abraços,

Eros

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Passeio saboroso

   Num dia à noite recebo uma sms do Eros: "Queres ir dar um passeio?". Ao que respondi de imediato que sim, estava com vontade de lhe dar prazer...
Foi-me buscar a casa, fomos até uma aldeia próxima e estacionámos o carro para ir dar uma volta a pé.
   Durante a viagem, tinha reparado que tinha um grande vulto nas calças. Estava tão teso! Ele olhava-me, de vez em quando, com a cara que me olha, sempre que deseja cometer uma "loucura"...
  Saímos do carro, pegou na minha mão e passou-a por cima do seu grande vulto:
   - Olha como estou duro, quero mete-lo todo na tua boca o mais rápido possível!
  (Eu já estava toda molhada).
   Acelerou o passo e levou-me até às traseiras de uma casa, que estava habitada, mas a vontade era tanta que baixou as calças mesmo ali.
   -Chupa-me! Chupa-me todo Afrodite!
   Baixei-me e comecei a lambê-lo todo. Adoro dar-lhe prazer. Fui aumentando o ritmo e a sua respiração era cada vez mais ofegante.
   -Continua Afrodite, bem fundo.




   Ele gemia cada vez mais, não ia demorar muito a vir-se.
   Comi-o com tanta força, que se veio para a minha boca e engoli tudo de seguida.

Excita-me! É o fruto do prazer que lhe dei. Espero que gostem e que se deliciem com o nosso passeio.



Beijos, Afrodite.


sábado, 5 de maio de 2012

Desejo Cumprido

   Já há algum tempo, tinha eu dito à Afrodite que me apetecia fazer algo diferente, algo arriscado, e rapidamente surgiu a ideia de tirarmos algumas fotografias em cima de uma ponte.
   Chega-se o dia de passagem de ano. 31 de Dezembro de 2011, 23h00m. Saímos de casa com o intuito de ir a uma festa quando a Afrodite me pergunta:
   - Então e a história da ponte? Era só paleio? - o que me fez perceber imediatamente que a noite ia ser muito mais especial do que tínhamos planeado. Após termos chegado à ponte escolhida, sobre uma movimentada auto-estrada (ainda que, naquela hora, o trânsito não fosse muito intenso), saímos do carro e rapidamente fomos assolados pelo frio que se fazia sentir.
Não sei se pela temperatura ou pelo constrangimento, a Afrodite parecia um pouco inibida.
  - Vá, faz alguma pose mais sexy - pedia eu, já com a máquina fotográfica focada nela. Apesar do clima não ajudar, ela lá foi abrindo cada vez mais o casaco, começando a revelar o seu maravilhoso corpo. Ainda um pouco tímida, devido aos carros que iam passando, foi posando de diferentes perspectivas, e à medida que a ia fotografando sentia-me cada vez mais excitado e isso percebia-se pelo meu pénis que ia ficando cada vez maior e mais duro, dentro das minhas calças.
Excitava-me o risco, a adrenalina daquele jogo... excitava-me o facto de outras pessoas a poderem ver mas com a certeza de que a Afrodite nunca ia ser delas. Tal excitação rapidamente levou a que esquecêssemos as fotografias e nos começássemos a beijar e a acariciar ali mesmo, em cima da ponte. Não tardou até que o meu pénis estivesse muito mais quente do que nós. De frente um para o outro, o meu pénis ia entrando cada vez com mais força e mais fundo na vagina dela, enquanto as minhas mãos agarravam as suas nádegas. Por aquela altura já tínhamos esquecido a baixa temperatura.

A cada carro que passava na auto-estrada eu sentia mais prazer e ia levantado o casaco dela para que todos pudessem ver o quão perfeito é o cu da minha Afrodite. Tal era o tesão que não demorei a vir-me. Houve ainda tempo para tirar mais uma fotografia, a que usámos no primeiro post do nosso blog.
Para fugir do frio fomos para o carro, onde a Afrodite se apressou a abrir as pernas para que eu a pudesse saborear. Agora estava na altura de ser ela a fotógrafa. A vagina dela estava quente e escorria de excitação. A minha língua ia lambendo tudo quanto podia, penetrando-a e brincado com o seu clitóris, à medida que os gemidos dela se tornavam mais intensos. Enfiei-lhe dois dedos enquanto a lambia.
 



  -Continua. Não pares! - pedia-me ela.
Depressa percebi que ela se estava a vir, quando ouvi um gemido mais forte que todos os outros.
   Mudámo-nos para o banco da frente e fomos para a festa. O fogo de artifício foi lindo.



Eros

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Eros & Afrodite

Eros
Afrodite

Pelos motivos mais óbvios não nos identificaremos pelo nome próprio, pelo que Eros e Afrodite foram os pseudónimos escolhidos para facilitar a comunicação.

Beijinhos e abraços

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Assim começa...














“Tenho um fogo, um ardor, uma chama,
 que te assusta, te derruba e te enlouquece.
 Mas te envolve, te belisca e te aquece.”


… Assim começa uma forma de nos darmos a conhecer, sem nunca nos conhecerem. Uma forma de vos excitar, sem nunca vos tocarmos. Uma forma de nos envolvermos, sem nunca nos vermos. Assim começa este jogo. Um jogo perigoso, um jogo quente, um jogo louco. Um jogo de sexo, mas acima de tudo… um jogo de amor.